segunda-feira, agosto 08, 2005

Uma prece, uma esperança, uma força...






... para o querido Fernando Toledo.
Toledão, é muita gente gostando de você.
Força, mano!

segunda-feira, agosto 01, 2005

Fim de linha

É com uma boa ponta de tristeza, misturada a doses caprichadas de satisfação, que venho vos anunciar oficialmente, o que os ares e o título deste texto já denunciam. Não, não estou falando do governo Lula, não. Falo aqui da nossa revista, o Conexão Irajá, que precocemente chega à sua derradeira estação, engrossando as já não boas estatísticas nacionais de mortalidade infantil.

A satisfação é óbvia. Nesses meros três meses, conseguimos reunir uma assistência, que se não é numerosa, transborda em qualidade, inteligência, charme e disposição para participar. Zé Sérgio, Betinha, Flavinho, Marcão, Jota Cardoso - só pra citar os mais assíduos nos comentários, até porque o tom é mesmo confessional - embarcaram, com disposição, solicitude e indulgências para conosco, nessa conexão idealizada como um transporte virtual a uma dimensão que tanto nos enleva, mas que anda rara na praça: o mundo do bate-papo amigo, inteligente, respeitoso, crítico, afável, mesmo quando o tema ou o tom nos obrigam a certas durezas. Nisso fomos felizes, eu acho.

Talvez tenhamos errado na condução dos vagões, que acabaram por descarrilar da idéia original de um espaço mais leve, mais ágil, menos formal. Talvez também a sombra dos tempos que vão nos tenha levado a tanto. Talvez não. O fato é que a obrigação de mais um texto semanal para todos os que somos atulhados de deveres para com a escrita não estava coadunando com a frustração dos objetivo originalmente traçados de ampliar espaços, diversificar o público, abrir os debates. Eu, por exemplo, praticamente enterrei o Só Dói, que pretendo ressuscitar. Edu mantém o Buteco bravamente atualizado todos os dias e o bom Toledão tem seus espaços no JB, na Revista Música Brasileira e na semanal coluna Carta Brazilis, cujo liame não consigo achar agora.

A tristeza também é indisfarçável. A gente tem certeza de que a idéia é boa e sobrevive. Voltará, tenho certeza, sob um outro formato, se tivermos sorte. Aguardem e verão. Em nome da equipe (leia-se eu, Edu e Toledo, já que a Mariana nos abandonou...), agradecemos comovidos a paciência, o carinho, a participação fundamental.

Foi bom que a última parada tenha sido essa belíssima ode à paixão que nos une a todos, os que escrevem e os que lêem este espaço: o butiquim. Aquele que nos salva, acima de tudo. Lembrem-se disso.

Tchau!
Fernando Szegeri
eXTReMe Tracker